Como fazer uma boa escova progressiva?

  • Nenhum comentário

A escova progressiva é um dos métodos de alisamento mais requisitados nos salões de beleza. No entanto, é fundamental que o cabeleireiro se prepare e esteja atento a alguns detalhes para garantir o bom resultado do procedimento para as clientes.

Novas técnicas surgem constantemente e, junto delas, é preciso realizar um diagnóstico correto sobre o cabelo que receberá o procedimento, resultando na escolha dos produtos certos.

Para que o alisamento seja satisfatório, a utilização de recursos adequados no antes, durante e no pós-alisamento é essencial. Confira, a seguir, como fazer uma progressiva com qualidade!

Adote a anamnese como primeiro passo

O processo de ficha de anamnese nada mais é do que um diagnóstico do cabelo da cliente. Ele é realizado antes da realização da progressiva.

Durante o preenchimento da ficha, o profissional precisa registrar todas as características do cabelo da cliente:

  • tipo de cabelo (normal, oleoso, seco ou misto);
  • curvatura (liso, ondulado, cacheado, crespo ou muito crespo);
  • espessura (fino, médio, grosso);
  • densidade (volume de fios na cabeça);
  • porosidade (caso esteja poroso, fica mais propenso ao frizz e ressecamento);
  • elasticidade (capacidade do cabelo de esticar-se e contrair-se novamente).

Além das características naturais, o documento precisa registrar todo o histórico dos fios. Para isso, ele deve considerar por quais procedimentos o cabelo já passou, se a cliente toma algum remédio, quais são os cuidados diários que ela tem com os cabelos e também quais os produtos utilizados (lembrando que é importante analisar se algum deles têm composições químicas).

Esse estudo é de extrema importância para que, a partir dele, os produtos e procedimentos escolhidos sejam os mais apropriados, resultando em um trabalho satisfatório.

Prepare o cabelo para receber a escova progressiva

A escova progressiva tem como principal função alisar os fios. Muitos profissionais dizem que o procedimento é ideal para tratar o cabelo, mas esse não é o objetivo dele. Logo, o método não deve ser usado com esse intuito.

As escovas progressivas de boa qualidade realmente contêm ativos que ajudam a proteger os fios durante o procedimento, além de conferir um efeito de brilho e maciez. No entanto, se a intenção for tratar as madeixas, existe uma infinidade de outros produtos para este fim.

O primeiro passo para preparar o cabelo, conforme citamos, é a anamnese, que encaminhará todo o processo. Após isso, um bom procedimento de preparo dos cabelos é cauterizar a frio os fios e fazer um corte neles.

Sabe quando as pontas ficam com um aspecto “espigado” após a progressiva? Então, esse procedimento limpará as pontas, evitando um possível desgaste por conta do procedimento. Esse problema é muito comum, mas fácil de ser resolvido.

Saiba qual importância da bioafinidade

Em um procedimento como a progressiva é fundamental selecionar os produtos adequados. Isso porque eles precisam ter bioafinidade. Isso consiste em itens que não utilizam substâncias que agridam o cabelo ou que alterem a estrutura natural do fio de modo agressivo.

Além disso, esses produtos costumam ter compostos químicos que não reagem contra outras substâncias, impedindo que o alisamento seja rejeitado pelo cabelo.

Os artigos que possuem bioafinidade são 100% livres de elementos prejudiciais, além de possuírem compostos que auxiliam no desenvolvimento e na manutenção natural do cabelo.

Conheça os novos procedimentos de alisamento

Com a constante necessidade de pensar em um alisamento menos agressivo, os profissionais do universo capilar desenvolveram novos métodos utilizando outros procedimentos e produtos. Conheça alguns deles a seguir!

Escova progressiva tradicional

A escova progressiva tradicional é composta por queratina, óxido acetamide e formol (em alguns casos específicos ele já é substituído por outros tipos de conservantes menos agressivos). A técnica é ideal para fios ondulados e volumosos, visto que ela devolve o brilho e movimento ao cabelo, alisando-o.

Ela é contraindicada para aquelas pessoas que possuem cabelo afro ou extremamente danificados, sendo necessária uma reestruturação capilar anterior.

Escova definitiva

O principal diferencial é que o efeito é permanente, ou seja, não sai quando os fios são lavados. Para isso, o procedimento utiliza ativos como amônia ou hidróxidos que possuem o poder de mudar a estrutura do fio definitivamente. A aplicação deve ser feita somente por profissionais qualificados.

Lembrando que à medida que os fios forem crescendo será preciso realizar retoque, pois ela não modifica a estrutura interna do bulbo capilar. Ela não é recomendada para quem tem fios tingidos e nem poderá receber descoloração posterior se tiver guanidina na sua composição. Se o composto for tioglicolato não há problema. No entanto, é sempre bom observar o cabelo antes de realizar o processo.

Escova inteligente

Muitos salões a chamam também de escova alemã. O diferencial é que os fios podem ser lavados no mesmo dia em que é feita a aplicação dos produtos. Ela serve para vários tipos de cabelos.

No caso dos fios crespos, a escova inteligente faz com que os cachos fiquem mais definidos. Por sua vez, os fios lisos aparentam mais brilho e um aspecto mais saudável. Tudo isso graças às suas propriedades que alisam de maneira mais natural, o que a difere da escova definitiva.

Escova de morango

Composta por proteínas, ácido de frutas, queratina e etanolamina, a escova de morango não utiliza formol em sua fórmula. É justamente a etanolamina que garante o efeito liso e nutre os fios ao mesmo tempo.

O principal tipo de cabelo para o qual ela é indicada é aquele com bastante volume e que possui o aspecto ressecado. Ela deve ser realizada a cada 3 meses, sendo que após o procedimento os fios não podem ser levados por um período de 3 dias e nem serem presos nesse mesmo intervalo.

Escova para loiros

Geralmente, esse procedimento contém pigmentos especiais, matizando os fios, enquanto reduz o volume. Associada aos ativos certos, ela garante efeito liso natural e um loiro impecável.

Ela deve ser utilizada especificamente em cabelos com mechas ou coloridos, pois possui propriedades antioxidantes que evitam o amarelamento dos fios, neutralizando o desbotamento da coloração.

Escova marroquina

Esse procedimento se diferencia dos demais justamente por utilizar um neutralizador após a sua finalização, o que permite que a cliente prenda os fios ou mesmo lave-os no dia seguinte. Seus compostos são a queratina, argila, cacau e formol.

Ela alisa temporariamente o cabelo, além de hidratá-los, sendo ideal para os fios ondulados, cacheados, quebradiços e com volume. No entanto, os fios sensibilizados devem ser analisados, pois nem sempre poderão receber o procedimento devido à fraqueza da fibra capilar. Ela dura, aproximadamente, três meses, assim como as outras.

Progressiva ecológica

A progressiva ecológica utiliza cisteína ou ácidos vegetais e é perfeita para eliminar o frizz, mantendo o aspecto natural dos fios. Ela é uma opção muito procurada por quem não deseja um efeito muito “chapado”. Se a cliente desejar um efeito 100% liso, o procedimento deve ser refeito num espaço de dois meses ou ser aplicado em cabelos previamente relaxados.

Saiba quais os cuidados fundamentais para o melhor resultado no pós-alisamento

Tão importante quanto fazer o procedimento adequado é cuidar dos cabelos para manter o efeito do alisamento por mais tempo. Também é função dos profissionais orientar os clientes quanto a isso. Alguns cuidados são fundamentais. Veja:

Evitar lavar com shampoo de limpeza profunda

Esse procedimento pode afetar a “capa” que o cabelo adquire após o alisamento. Mesmo quando for fazer algum tratamento como hidratação ou nutrição, não use shampoo de limpeza profunda.

Lavar o cabelo moderadamente

De duas a três vezes por semana é o ideal, com o intervalo de cerca de dois dias entre as lavagens. O excesso de lavagem faz com que a escova progressiva dure menos tempo. Vale lembrar que é importante também evitar lavar a cabeça com água que contenha muito cloro durante um tempo, pois ele tem propriedades que ressecam os fios.

Usar produtos específicos

Os fios devem ser higienizados com shampoos e condicionadores específicos para cabelos quimicamente tratados. O shampoo, por exemplo, deve ser aplicado duas vezes para limpar os fios, sempre massageando bem o couro cabeludo. De preferência o cabelo deve ser finalizado com leave-in que manterá o frizz controlado.

Dar um espaçamento entre a coloração e a escova progressiva

Se os cabelos forem tingidos logo após a escova progressiva, eles poderão perder um pouco do efeito de liso. Por outro lado, se usar a tinta antes da progressiva, o que pode acontecer é um desbotamento da cor. O melhor é colorir os cabelos pelo menos uma semana antes ou 15 dias depois do procedimento.

Não dormir com o cabelo molhado

Isso altera a estrutura dos fios, causando elasticidade e quebrando o cabelo. Além disso, dormir com o cabelo molhado faz com que os fios fiquem marcados e o frizz se destaque. Por isso, o ideal é usar o secador antes para deixar o cabelo bem seco.

Apostar no cronograma capilar para o tratamento

O cronograma capilar é dividido em três procedimentos: hidratação, nutrição e reconstrução. Essas etapas devolverão a beleza e a força para os fios. Isso porque a hidratação devolverá água à estrutura capilar, enquanto a nutrição recuperará as vitaminas e a reconstrução reestruturará as áreas danificadas pelo procedimento.

Fazer uma boa escova progressiva passa por uma série de cuidados, que ajudam a fidelizar o cliente. Por isso, o passo a passo mostrado no texto deve ser seguido para garantir ótimos resultados.

Quer saber mais sobre cabelos, cosméticos capilares e outros assuntos sobre o universo capilar? Siga as nossas redes sociais: estamos no FacebookInstagramTwitter e YouTube!