Passo a passo: aprenda como fazer o diagnóstico capilar das clientes

  • Nenhum comentário

Quando uma cliente chega ao salão solicitando determinado procedimento ou tratamento, pode ser comum que o profissional preste atenção somente ao que ela fala e não à saúde dos fios. Isso pode provocar uma situação tensa e constrangedora, especialmente se o resultado final não atender às expectativas do consumidor.

Por isso, fazer o diagnóstico capilar das clientes é importante e necessário, antes de tudo. Pensando em ajudar nisso, criamos este post com um passo a passo de como fazer esse processo. Confira.

O que é e como funciona o diagnóstico capilar?

O diagnóstico capilar nada mais é que uma análise dos fios, do couro cabeludo e do histórico da cliente com procedimentos. Ele serve para que o profissional possa desenvolver um programa com as melhores técnicas e produtos para o cuidado e a saúde dos fios.

Um exemplo é se o cabelo está muito quebradiço. Ao conhecer mais profundamente o fio, o cabeleireiro pode definir uma linha de tratamento específica para resolver essa e outras situações.

Por que é importante fazer corretamente nas clientes?

Como comentado, o diagnóstico capilar serve para entender melhor o tipo de cabelo e a saúde dos fios para recomendar os melhores tratamentos. Sendo assim, é de extrema importância que ele seja feito de forma correta. Assim, devem ser analisados todos os aspectos visuais, texturas e histórico dos fios.

Como fazer um diagnóstico capilar correto?

O diagnóstico capilar é feito pelo especialista, seguindo três vertentes: a análise capilar, a anamnese e a avaliação com microcâmera. Abaixo, vamos esclarecer como funciona e em quê cada uma se encaixa.

Faça as perguntas certas

É nesse quesito que a anamnese se encaixa, afinal ela se trata de uma conversa com o cliente, quando são feitas perguntas. Ela é basicamente uma entrevista feita pelo profissional para conhecer melhor sobre o comportamento dos fios e o histórico de procedimentos, químicos ou não, e tratamentos já realizados.

Algumas perguntas comuns são se a pessoa já aplicou química nas madeixas, quantas vezes na semana lava o cabelo, se faz uso secador, chapinha ou babyliss, entre outras.

Aplique testes

Nos casos dos testes, ele servem para uma análise mais profunda dos fios, como a estrutura interna e o couro cabeludo. Alguns dos testes mais comuns são:

Seja um Revendedor de CosméticosPowered by Rock Convert
  • porosidade: nesse teste, o cabeleireiro segura os fios com os dedos e vai passando ao longo do comprimento para analisar a rugosidade ou a suavidade do cabelo. Assim, ele consegue determinar o nível de porosidade das madeixas;
  • diâmetro: com aparelhos específicos, como um calibrador, e experiência, o profissional consegue determinar o diâmetro dos fios e analisar se são muito finos, médios ou grossos;
  • elasticidade: é nesse teste que o especialista consegue analisar se os fios estão saudáveis, secos ou danificados. Para isso, ele vai pegar alguns fios com o dedo polegar e indicador e puxar para baixo. Madeixas saudáveis conseguem esticar cerca de um terço do comprimento original e voltar sem quebrar.

Observe a saúde da fibra capilar

A análise capilar e com microcâmera se encaixa neste quesito. É nesse passo que o profissional vai olhar bem e analisar a situação visual dos fios, checando se o couro cabeludo está saudável, se os fios estão brilhantes e são resistentes, as pontas, a densidade e a cor.

Com o auxílio da microcâmera, pode-se identificar, também:

sensibilidades do couro cabeludo;

fissuras;

agressões;

queimaduras nos fios;

diminuição do brilho ou da hidratação.

Anote as informações

Anotar  as informações e conhecer a rotina de cuidados são outros dois pontos essenciais ao fazer o diagnóstico capilar das clientes. Afinal, de nada adianta seguir todos esses passos se, no futuro, não se lembrar do que descobriu ou não souber como funciona a rotina de cuidados de cada pessoa.

Ao longo deste texto, deu para perceber por que o diagnóstico capilar das clientes é tão importante. Afinal, é ele que vai indicar qual o melhor tipo de tratamento, os procedimentos químicos e, até mesmo, se a saúde dos fios pode estar prejudicada.

Agora que aprendeu como fazer o diagnóstico capilar das clientes, pode começar a colocar em prática no seu salão, não é mesmo? Aproveite e comente abaixo o que achou do post e se as informações foram úteis.