Vale a pena investir no mercado da beleza?

A área da beleza ganhou muito destaque nos últimos anos. Mas quem cogita iniciar um negócio nesse ramo, com certeza já se perguntou: vale a pena investir no mercado da beleza? Para responder essa pergunta é bom entender o cenário atual. Nos últimos anos o país passou por diversas transformações sociais que mudaram a maneira que o brasileiro consome. A inserção em massa das mulheres no mercado de trabalho, a ascensão de muitas famílias à classe C e o aumento do poder aquisitivo das classes C e D são alguns exemplos dessas mudanças. Um dos setores que mais sentiu essas transformações foi o de cosméticos.

Essas mudanças geraram resultados como o expressivo crescimento no consumo de produtos voltados para o público feminino. Além do mais, itens que antes eram considerados supérfluos foram incluídos nas listas de compras dos brasileiros. Outro dado importante é, além de comprar novos produtos, esses novos consumidores passaram a investir em produtos mais caros.

O fato é que as características desse novo consumidor de produtos de beleza favoreceu o crescimento desse mercado de forma antes nunca vista. Segundo a Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) o Brasil registrou crescimento acima de 10% durante alguns anos seguidos. Em 2012 esse número chegou a 15,62%.

Como são os números da área capilar?

No mercado capilar o crescimento foi ainda mais surpreendente. De acordo com ANABEL, o Brasil saltou de 273 mil salões registrados em 2005 para quase 620 mil em 2011. Isso representa um crescimento de 125%. Se considerarmos que o índice de informalidade nesse setor é altíssimo, chegaremos a números impressionantemente maiores.

Esses números não têm previsão de estagnar tão cedo. Um recente dado divulgado pelo Sebrae diz que todo mês são abertos 7 mil novos salões no país.

Como ficou esse mercado na crise?

Em meados de 2015, no auge da crise, o setor de beleza e estética previa um crescimento de 160%. Isso depois de ter registrado um faturamento recorde em 2014. Aliás, o ramo da beleza é conhecido por todos como o negócio que não tem crise. Todo esse otimismo tem uma explicação.

Segundo alguns especialistas, em épocas de recessão econômica o consumidor adota algumas posturas diferenciadas. Por exemplo, ele troca investimentos de longo prazo por dívidas menores. Ou seja, ele adia a troca do carro, adia a viagem de férias, etc.

Por outro lado, durante a crise as pessoas tendem a investir na beleza, saúde e socialização com os amigos. A lógica é a seguinte: se o momento não é bom para realizar sonhos mais onerosos, o jeito é substituir por satisfações mais baratas.O resultado dessa fórmula é que, curiosamente, alguns setores crescem na crise. Os três principais para citar são o de beleza, lazer e tecnologia.

Mas afinal, vale a pena investir no mercado da beleza?

Todos os dados acima provam, numericamente, que esse setor é um excelente negócio. Mas os benefícios não terminam aqui. Distribuir cosméticos para salão de beleza, por exemplo, tem a vantagem de não exigir altos investimentos e nem experiência anterior. É um dos poucos negócios que não demanda investimento em espaços físicos como lojas ou escritório. É claro que, com o crescimento do negócio, talvez seja interessante investir num espaço próprio. Mas isso não é uma necessidade determinante no início do negócio.

Em resumo, o cenário dos cosméticos no Brasil é o seguinte:

1 – O ramo da beleza é um dos que mais crescem no país;

2 – Mesmo em tempos de crise financeira as pessoas continuam enxergando esses gastos como prioridade;

3 – O número de salões e clínicas de estética cresce consideravelmente a cada dia

4 – É um dos poucos setores que possibilita iniciar um negócio próprio com baixo investimento;

Portanto, o desempenho desse mercado tem provado que investir no mercado da beleza é um excelente negócio.

Quer saber mais? Entre em contato conosco e conheça melhor esse negócio.